Azitromicina Teva 500 mg Comprimidos

 

O que é e como se utiliza?

Azitromicina Teva é um medicamento antimicrobiano, da família dos macrólidos (grupo farmacoterapêutico 1.1.8).

Azitromicina Teva está indicada nas seguintes infecções causadas por microrganismos sensíveis à azitromicina:

  • Infecções do tracto respiratório inferior: bronquite e pneumonia adquirida na comunidade ligeira a moderadamente grave. Infecções do tracto respiratório superior: sinusite, faringite/amigdalite. Otite média aguda. Infecções da pele e dos tecidos moles. Cervicite e uretrite Chlamydia trachomatis não complicada.

As orientações oficiais sobre o correcto uso e prescrição de agentes antimicrobianos deve estar sempre presente.

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não utilize Azitromicina Teva:
Se tem hipersensibilidade (alergia) à azitromicina, outros antibióticos macrólidos ou a qualquer dos componentes do medicamento.

Tome especial cuidado com Azitromicina Teva:
Caso ocorram reacções alérgicas, como edema angioneurótico e anafilaxia, podendo ser necessário prolongar o período de observação e a duração do tratamento.

Deve ser considerado o diagnóstico de colite pseudomembranosa em doentes com diarreia subsequente ao tratamento com azitromicina.
Caso ocorra perturbação grave da função hepática, o tratamento com azitromicina deve ser interrompido.
A azitromicina deve ser administrada com precaução nos doentes com doenças neurológicas ou psiquiátricas.
No caso de infecções recorrentes, tal como com outros antibióticos, o tratamento com outro antibacteriano deve ser considerado.
Não é necessário um ajuste da dose em doentes com insuficiência renal ligeira a moderada. Aconselha-se precaução nos doentes com insuficiência renal grave uma vez que a exposição sistémica pode ser aumentada.
Recomenda-se observação de sinais de superinfecções com microrganismos não sensíveis à azitromicina, entre os quais fungos.
A azitromicina e os alcalóides da cravagem de centeio não devem ser administrados simultaneamente, uma vez que podem conduzir ao desenvolvimento de ergotismo. A azitromicina não é a substância de primeira escolha para o tratamento da otite média aguda.
A azitromicina não está indicada para o tratamento de queimaduras infectadas. A azitromicina não é a substância de primeira escolha para o tratamento da faringite e amigdalite provocadas pelo Steptococcus pyogenes.
A azitromicina não ser administrada a doentes com prolongamento do intervalo QT adquirido congénito ou documentado.
A azitromicina não deve ser utilizada em simultâneo com outras substâncias activas que prolonguem o intervalo QT, tais como, os anti-arrítmicos das classes IA e III, cisaprida e terfenadina.
A azitromicina não deve ser administrada em doentes com distúrbios electrolíticos, particularmente em casos de hipocaliémia e hipomagnesémia.
A azitromicina não deve ser administrada a doentes com bradicardia clinicamente relevante, arritmias cardíacas, ou insuficiência cardíaca grave.
Tomar Azitromicina Teva com outros medicamentos:
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos sem receita médica.
Anti-ácidos: A azitromicina deve ser tomada pelo menos até 1 hora antes ou 2 horas depois do anti-ácido.
Derivados da ergotamina: Teoricamente a utilização simultânea de ergotamina e a azitromicina pode provocar ergotismo, e consequentemente a sua administração conjunta não está recomendada.
Anticoagulantes orais tipo cumarínicos: aumento da tendência para hemorragias relacionado com a administração simultânea de azitromicina e varfarina ou anticoagulantes orais cumarínicos. Recomenda-se especial atenção à frequência da monitorização do tempo de protrombina.
Digoxina: Em doentes tratados com azitromicina e digoxina concomitantemente, deve ser considerado a possibilidade dos níveis de digoxina estarem aumentados.

Rifabutina: A administração concomitante de azitromicina e rifabutina não afectou a concentração sérica de nenhum dos medicamentos. Foi observada neutropenia em doentes a receber tratamento com azitromicina e rifabutina.
Teofilina: Em voluntários saudáveis que receberam a azitromicina e a teofilina simultaneamente, a azitromicina não afectou o metabolismo da teofilina. Os níveis de teofilina podem aumentar nos doentes que estão a tomar azitromicina.
Recomenda-se precaução na combinação da teofilina com quinidina, ciclosporina, cisapride, astemizol, terfenadina, alcalóides da cravagem de centeio, pimozida Ciclosporina: recomenda-se precaução na administração concomitante deste medicamento com azitromicina. Recomenda-se a monitorização dos níveis de ciclosporina e o ajuste de dose, sempre que necessário.
Terfenadina. a azitromicina deve ser administrada com precaução em combinação com a terfenadina.
Cisapride: a administração concomitante de cisapride com azitromicina pode causar o aumento do prolongamento do intervalo QT, arritmias ventriculares e torsades de pointes. Astemizol, triazolam, midazolam, alfentanil: Recomenda-se precaução na utilização concomitante destes medicamentos e azitromicina devido ao aumento dos efeitos destes medicamentos com a utilização concomitante com o antibiótico macrólido. Gravidez:
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento. A segurança da azitromicina não está confirmada relativamente à utilização da substância activa durante a gravidez. Assim, a azitromicina deverá ser administrada apenas nos casos de risco de vida durante a gravidez.

Aleitamento:
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento. A azitromicina é excretada no leite materno. Porque não se conhece se a azitromicina pode ter efeitos adversos no lactente, o aleitamento deve ser interrompida durante o tratamento com a Azitromicina Teva 500 mg Comprimidos. É possível que ocorram nos lactentes diarreia, infecções fúngicas das membranas mucosas bem como sensibilização, entre outras. É recomendada a rejeição do leite durante o tratamento e até 2 dias após a interrupção do tratamento. O aleitamento pode ser retomada após isso.

Condução de veículos e utilização de máquinas:
Não existem dados sobre o efeito da azitromicina sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas. Contudo, a possibilidade de efeitos indesejáveis como, tonturas e convulsões devem ser tidos em consideração aquando da realização destas actividades.

Informações importantes sobre alguns ingredientes de Azitromicina Teva Este medicamento contém lactose, pelo que se foi informado pelo seu médico de que tem uma intolerância a alguns açúcares, contacte o seu médico antes de tomar este mediamento.

Como é utilizado?

Tomar Azitromicina Teva sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas

Crianças e adolescentes com peso corporal superior a 45Kg, adultos e idosos: A dose total de azitromicina é de 1500 mg dividida em 3 doses de 500 mg durante 3 dias (500 mg uma vez ao dia). Alternativamente, a dose pode ser dividida durante 5 dias (500 mg numa toma única no primeiro dia e nos seguintes 250 mg por dia).

Para o tratamento de cervicite e uretrite Chlamydia trachomatis não complicada, a dose é de 1000 mg em dose única por via oral.

Crianças e adolescentes com peso corporal inferior a 45 Kg: Os comprimidos não são recomendados para estes doentes. Outras formas farmacêuticas da azitromicina, como por exemplo, as suspensões podem ser utilizadas.

Idosos: Não é necessário ajuste posológico da dose em doentes idosos.

Doentes com insuficiência renal: Não é necessário ajuste posológico da dose nos doentes com insuficiência renal ligeira a moderada.

Doentes com insuficiência hepática: O ajuste da dose não é necessário em doentes com insuficiência hepática moderada.

A azitromicina comprimidos deve ser administrada numa toma única diária. Os comprimidos podem ser tomados com ou sem alimentos. A duração do tratamento para cada doença infecciosa foi anteriormente indicada.

Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver a impressão de que Azitromicina Teva é demasiado forte ou demasiado fraco.

Se tomar mais Azitromicina Teva do que deveria:
Os sintomas que ocorrem com doses superiores às normais são similares aos efeitos indesejáveis conhecidos para as doses normais.
Sintomas: Os sintomas característicos de sobredosagem dos antibióticos macrólidos são perda de audição reversível, náuseas graves, vómitos e diarreia.
Tratamento: Em casos de sobredosagem, é indicado quando necessário, a administração de carvão activado medicinal, o tratamento sintomático geral e medidas de suporte das funções vitais.

Caso se tenha esquecido de tomar Azitromicina Teva:
No caso de se ter esquecido de tomar Azitromicina Teva, continue a toma seguinte normalmente.
Não tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como os demais medicamentos, Azitromicina Teva pode ter efeitos secundários em algumas pessoas.

Classes de sistemas de órgãos Frequentes 1100, 110 Pouco Frequentes 11000, 1100 Raros 110000, 11000 Doenças do sangue e do sistema linfático Trombocitopenia Anemia hemolítica Ensaios clínicos revelaram neutropenia ligeira por períodos transitórios, mas a verdadeira relação com a azitromicina não foi determinada Perturbações do foro psiquiátrico Agressividade Agitação Ansiedade Nervosismo Despersonalização, em doentes idosos pode ocorrer delírio. Doenças do sistema nervoso Parestesia, sincope e astenia Insonia Hiperactividade Tonturasvertigem Sonolência Cefaleias Convulsões Perturbação do olfacto e do paladar. Afecções do ouvido e do labirinto Foram relatadas perturbações na audição com a utilização de antibióticos macrólidos. Existem relatos sobre a redução da audição, surdez e zumbidos em doentes a utilizar azitromicina. Muitos destes casos foram associados com tratamentos prolongados com doses elevadas em estudos clínicos. Nesses casos, quando informação de seguimento está disponíveis, a maioria destes casos foram reversíveis.

Cardiopatias Palpitações Arritmias incluindo taquicardia ventricular associada. Existe um potencial risco de prolongamento do intervalo QT e torsades de pointes, especialmente em doentes susceptíveis a estas condições Doenças gastrointestinais Naúseasvómitos Diarreia Fezes soltas flatulência, Anorexia Obstipação Descoloração da lingua Perturbações digestivas      Desconforto abdominal dor cãibras pancreatite Descoloração dos dentes Colite pseudomenbranosa Afecções hepatobiliares Valores anormais nos testes da função hepática Hepatite Icterícia colestática Casos raros de necrose hepática e falência hepática, que foram raramente fatais Afecções dos tecidos cutanêos e subcutanêos Reacções alérgicas entre as quais prurido e erupção cutânea Reacções alérgicas entre as quais edema angioneurótico efotossenssibilidade graves distúrbios cutâneos entre os quais eritema multiforme, síndrome Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica. Artralgia Afecções musculosqueléticas e dos tecidos conjuntivos Doenças renais e urinárias  Nefrite intersticial  Insuficiência renal grave Vaginite Doenças dos orgãos genitais e da mama  Perturbações gerais ealterações no local de administração Anafilaxia incluindo edema raramente fatal  Astenia Candidíase

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Como deve ser guardado?

Conservar na embalagem de origem.
Manter os medicamentos fora do alcance e da vista das crianças.
Não utilize este medicamento após expirar o prazo de validade indicado na embalagem.