Tramal

 

O que é e como se utiliza?

O tramadol ? a substância activa de Tramal - é um analgésico que pertence à classe dos opióides e que actua sobre o sistema nervoso central. Este medicamento alivia a dor através da sua acção sobre células nervosas específicas na espinal-medula e no cérebro.

Tramal está indicado no tratamento da dor moderada a intensa.

O que se deve tomar em consideração antes de utilizá-lo?

Não tome Tramal:

  • Se tem alergia (hipersensibilidade) à substância activa cloridrato de tramadol ou aqualquer outro componente de Tramal;
  • Se apresentar intoxicação aguda pelo álcool, por hipnóticos (medicamentos queinduzem o sono), analgésicos ou fármacos psicotrópicos (fármacos que actuam sobre o humor e as emoções);
  • Se estiver a fazer tratamento simultâneo com inibidores da MAO (fármacos para otratamento da depressão) ou quando estes medicamentos tenham sido tomados durante os últimos 14 dias (?Tomar Tramal com outros medicamentos?);
  • Se tem epilepsia e as suas crises não estão adequadamente controladas com otratamento anti-epileptico.
  • Como substituto na desabituação de drogas

Tome especial cuidado com Tramal:

  • Se pensa estar dependente de outros analgésicos (opióides);
  • Se sofrer de perturbações do nível de consciência (se tem sensações de desmaio);
  • Se estiver em estado de choque (os suores frios podem ser um sinal deste estado);
  • Se sofrer de um aumento de pressão no cérebro (possivelmente após traumatismos cranianos ou doenças cerebrais);
  • Se sentir dificuldades em respirar;
  • Se sofre de epilepsia ou se tem tendência a sofrer de convulsões, uma vez que o risco de sofrer convulsões aumenta;
  • Se sofrer de uma doença do fígado ou dos rins.

Nestes casos por favor consulte o seu médico antes de iniciar o tratamento com Tramal 50 mg cápsulas.

Foram verificadas crises epilepticas em doentes que tomaram tramadol em doses terapêuticas recomendadas. O risco pode aumentar quando as doses de tramadol ultrapassarem a dose máxima diária recomendada (400mg).

Deve ter em conta de que o uso de Tramal pode provocar dependência física e psíquica. Quando Tramal é tomado por um longo período de tempo o seu efeito pode diminuir, sendo necessárias doses mais elevadas (desenvolvimento de tolerância). Por isso, os doentes com tendência para o abuso ou para a dependência de medicamentos só devem tomar Tramal durante curtos períodos e sob rigorosa vigilância médica.

Deve também informar o seu médico, caso algum destes problemas ocorra durante o tratamento com Tramal ou tiver ocorrido em tratamentos anteriores.

Tomar Tramal com outros medicamentos:

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Se está a tomar Tramal não deve tomar inibidores da MAO (certos medicamentos para

  • tratamento da depressão).

O efeito analgésico de Tramal pode ser reduzido e a duração de acção pode estar diminuída, se tomar medicamentos contendo:

  • carbamazepina (para as crises de epilepsia);
  • pentazocina, nalbufina ou buprenorfina (analgésicos);
  • ondansetron (prevenção de náuseas).O seu médico vai indicar-lhe se deve tomar Tramal, e que dose deverá tomar.

O risco de efeitos secundários aumenta,

  • Se tomar tranquilizantes, medicamentos para dormir, outros analgésicos como a morfina e a codeína (também usada como antitússico), e álcool, enquanto toma Tramal. Poderá sentir tonturas ou sentir que vai desmaiar. Se isto acontecer, por favor informe o seu médico.
  • Se tomar medicamentos que possam causar convulsões, como certos antidepressivos. O risco de desenvolvimento de uma crise convulsiva pode aumentar se tomar Tramal ao mesmo tempo. O seu médico vai indicar-lhe se Tramal é adequado ao seu caso.
  • Se tomar medicamentos inibidores da recaptação da serotonina (muitas vezes referidos como ISRS) ou inibidores da MAO (medicamentos para o tratamento da depressão). O Tramal pode interagir com estes medicamentos e poderão surgir sintomas como: confusão, inquietação, febre, sudação, movimentos descoordenados dos membros ou dos olhos, tremores musculares descontrolados, ou diarreia.
  • Se tomar medicamentos anticoagulantes cumarínicos (medicamentos para tornar o sangue mais fluido), como a varfarina por exemplo, juntamente com Tramal. O efeito destes medicamentos na coagulação sanguínea pode ser afectado e podem surgir hemorragias.

Tomar Tramal com alimentos e bebidas:
Não beba álcool durante o tratamento com Tramal, uma vez que os seus efeitos poderão ser potenciados. Os alimentos não influenciam o efeito de Tramal.

Gravidez e Aleitamento:
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Existe muito pouca informação sobre a segurança do tramadol na gravidez humana. Deste modo não deverá usar Tramal se estiver grávida.
O uso crónico durante a gravidez poderá originar sintomas de privação no recém nascido.

Geralmente, o uso de tramadol não é recomendado durante o aleitamento. Pequenas quantidades de tramadol são excretadas no leite. Após administração de uma única dose, habitualmente não é necessário interromper o aleitamento. Informe-se com o seu médico.

Condução de veículos e utilização de máquinas:
Tramal pode causar sonolência, tonturas e visão desfocada e por isso pode comprometer as suas reacções. Se sentir que a suas reacções estão afectadas, não conduza, não utilize ferramentas eléctricas nem opere máquinas, nem trabalhe sem uma protecção firme.

Como é utilizado?

Deve tomar Tramal de acordo com as indicações do seu médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

A dosagem deve ser adaptada à intensidade da sua dor e à sua sensibilidade individual à dor. Geralmente é utilizada a dose analgésica eficaz mais baixa
Salvo prescrito de forma diferente pelo seu médico, a dose usual é:

Adultos e adolescentes com mais de 12 anos:
1 ou 2 cápsulas de Tramal (equivalente a 50 ou 100 mg de cloridrato de tramadol), 3 a 4 vezes por dia. Sempre que não se verifique grande eficácia analgésica após a administração de 1 cápsula pode repetir-se a administração 30 a 60 minutos após a toma inicial.

Não deve tomar mais de 8 cápsulas de Tramal por dia (equivalente a 400 mg de cloridrato de tramadol), a não ser que o seu médico lhe tenha dado instruções nesse sentido.

Crianças
Tramal cápsulas não é apropriado para crianças com menos de 12 anos de idade.

Doentes idosos
Em doentes idosos (com mais de 75 anos), a eliminação do tramadol do organismo pode decorrer de forma mais lenta. Se isto se verificar, o seu médico pode prolongar-lhe

  • intervalo entre tomas.

Doentes com doenças no fígado ou nos rins (insuficiência)/doentes em diálise Se tiver uma doença grave dos rins ou do fígado, a eliminação do tramadol do organismo pode decorrer de forma mais lenta. Se isto se verificar, o seu médico pode prolongar-lhe o intervalo entre tomas.

Como e quando tomar Tramal
As cápsulas de Tramal devem ser tomadas inteiras, não divididas ou mastigadas, com líquido suficiente. Pode tomar Tramal com o estômago vazio ou durante as refeições.

Durante quanto tempo deverá tomar Tramal?
A administração de Tramal não se deve prolongar para além do tempo estritamente necessário. Se necessitar de um tratamento analgésico mais prolongado, o seu médico irá fazer uma monitorização cuidadosa e regular (eventualmente com pausas no tratamento) para decidir se deve continuar o tratamento e com que dose. Fale com o seu médico ou farmacêutico, caso tenha a impressão que Tramal é demasiado forte ou demasiado fraco.

Se tomar mais Tramal do que deveria:
Se tomar uma dose adicional de Tramal por engano, saiba que geralmente este facto não causa efeitos negativos. Deve tomar a dose seguinte da forma habitual. Após a ingestão de doses muito elevadas podem surgir os seguintes sintomas: miose (pupilas estreitadas), vómitos, queda da pressão arterial, aceleração dos batimentos cardíacos, colapso, diminuição do nível da consciência até ao coma (estado de

inconsciência profunda), ataques epilépticos generalizados (graves), bem como dificuldades respiratórias, que podem ir até à paragem respiratória.
Nestes casos deve consultar imediatamente o médico.

Caso se tenha esquecido de tomar Tramal:
Caso se tenha esquecido de tomar Tramal, é provável que a dor reapareça. Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar. Continue a tomar o medicamento segundo as instruções do seu médico.

Se parar de tomar Tramal:
Caso interrompa ou pare o tratamento com Tramal demasiado cedo, é provável que a dor reapareça. Se quiser interromper o tratamento devido a efeitos secundários, por favor fale com o seu médico.

Após a suspensão do tratamento com Tramal geralmente não ocorrem quaisquer efeitos desagradáveis. No entanto, em casos raros, doentes a tomar Tramal durante períodos prolongados, podem sentir-se mal se interromperem a administração de forma abrupta. Podem sentir-se agitados, ansiosos, nervosos ou com tremores. Poderão ficar hiperactivos, ter dificuldades em dormir e sofrer de perturbações do estômago e intestinos. Muito poucas pessoas poderão apresentar ataques de pânico, alucinações, percepções anómalas de comichão, tremor e adormecimento, e zumbidos nos ouvidos (tinido). Têm sido identificados muito raramente sintomas pouco comuns do sistema nervoso central como confusão, ilusão, alteração na percepção da personalidade (despersonalização), alteração na percepção da realidade (desrealização) e ilusão de perseguição (paranóia). Se apresentar qualquer uma destas queixas após a interrupção de Tramal, por favor consulte o seu médico.
Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

Quais são os possíveis efeitos secundários?

Como todos os medicamentos, Tramal pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.
A frequência dos efeitos secundários é classificada do seguinte modo:

  • muito frequentes (mais que 1 em 10 doentes)
  • frequentes (mais que 1 em 100 doentes mas menos que 1 em 10 doentes);
  • pouco frequentes (mais que 1 em 1.000 doentes mas menos que 1 em 100 doentes);
  • raros (mais que 1 em 10.000 doentes mas menos que 1 em 1.000 doentes);
  • muito raros (menos que 1 em 10.000 doentes).
  • desconhecidos (não pode ser calculado a partir do dados disponíveis)Os efeitos secundários mais frequentes durante o tratamento com Tramal são náuseas e tonturas, que ocorrem em mais de 1 em 10 doentes.

Distúrbios cardiovasculares:

Pouco frequentes: efeitos sobre o coração e a circulação sanguínea (palpitações, taquicardia, sensação de fraqueza ou colapso), em especial quando o doente se encontre de pé ou esteja sujeito a stress físico.
Raros: batimentos cardíacos lentos e aumento da pressão arterial

Distúrbios do Sistema Nervoso:
Muito frequentes: tonturas;
Frequentes: dores de cabeça, sonolência;
Raros: alterações do apetite, sensações anormais (ex: comichão, formigueiro, adormecimento), tremores, respiração lenta, crises epilépticas, contracções musculares involuntárias, movimentos descoordenados, perda transitória da consciência (síncope). Se as doses recomendadas forem excedidas, ou se forem tomados outros medicamentos que deprimam a função cerebral, a respiração pode tornar-se mais lenta. Ocorreram crises epilépticas sobretudo após a administração de altas doses de tramadol ou quando o tramadol é tomado juntamente com medicamentos que podem provocar convulsões.
Desconhecidos: distúrbios no discurso

Perturbações do foro psiquiátrico:
Raros: alucinações, confusão, distúrbios do sono, ansiedade e pesadelos. Após a administração de Tramal podem surgir diversas queixas do foro psicológico. A intensidade e natureza variam de indivíduo para indivíduo (consoante a personalidade e duração do tratamento). Podem surgir na forma de alterações de humor (geralmente estado eufórico, ocasionalmente estado de irritação), alteração da actividade (normalmente diminuição, por vezes intensificação) e alterações da capacidade cognitiva e sensorial (alterações nos sentidos e capacidade de reconhecimento que podem levar a erros de julgamento). Pode verificar-se dependência.

Afecções oculares:
Raros: visão turva.
Desconhecidos: midríase

Distúrbios do Sistema Respiratório:
Raros: falta de ar (dispneia).
Foi mencionado o agravamento da asma, embora não tenha sido estabelecido se foi causado pelo tramadol.

Doenças gastrointestinais:
Muito frequentes: náuseas;
Frequentes: vómitos, obstipação, secura da boca;
Pouco frequentes: ânsia de vomitar, irritações gastrointestinais (sensação de pressão no estômago, enfartamento), diarreia.

Distúrbios dermatológicos:
Frequentes: sudação;

Pouco frequentes: reacções cutâneas (comichão, exantema, urticária).

Distúrbios do Sistema músculo-esquelético:
Raros: fraqueza muscular.

Afecções hepatobiliares:
Muito raros: aumento dos valores dos enzimas hepáticos.

Distúrbios do Sistema Urinário:
Raros: dificuldades em urinar, micção dolorosa, menor quantidade de urina do que normalmente.

Perturbações Gerais:
Frequentes: fadiga.
Raros: reacções alérgicas (por exemplo, dificuldade em respirar, respiração sibilante, inchaço da pele) e choque (falência circulatória súbita). Deverá consultar imediatamente o seu médico se sentir os seguinte sintomas: inchaço na face, língua e/ou garganta e/ou dificuldade em engolir ou urticária, juntamente com dificuldade em respirar.

Se Tramal for tomado durante um longo período de tempo poderá ocorrer dependência, apesar do risco ser muito baixo. Ao terminar o tratamento, poderão surgir sintomas de privação. (ver ?Se parar de tomar Tramal?).

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Como deve ser guardado?

Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Não conservar acima de 25ºC. Proteger da humidade.
Não utilize Tramal após após o prazo de validade impresso na cartonagem e blister. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.
Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.